sábado, 22 de março de 2014

ÁFRICA ATLÂNTICA

A área costeira ocidental do continente africano, banhada pelo oceano Atlântico, é denominada África Atlântica. Esta região influenciou fortemente a colonização e formação étnico-cultural das Américas, pois dela eram retirados os escravos para o trabalho no Novo Mundo.
Os países que formam a África Atlântica são: República Democrática do Congo, Angola, Congo, Gabão, São Tomé e Príncipe, Guiné Equatorial, Camarões, Nigéria, Benin, Togo, Gana, Costa do Marfim, Libéria, Serra Leoa, Guiné, Guiné Bissau, Gâmbia, Senegal e Mauritânia. Por esta área, que corta o continente de norte a sul, havia o Império de Gana, que foi um dos maiores reinos da História. Entre suas práticas, estavam atividades de mineração, tráfico de escravos e outras transações comerciais.
 Um dos fatores que faziam do Império de Gana uma organização poderosa era sua localização, pois estavam em uma região de intensa movimentação entre áreas subsaarianas  e atlânticas. Por ali, era possível manter contato com diversos povos e, desta forma, as negociações de escravos eram facilitadas. Sob o controle de Gana, estavam muitos reinos da África Atlântica, que foram entrando em um processo gradual de declínio no século XIII, após a invasão islâmica.
 Outro reino que fazia parte da África Atlântica era o Reino de Mali, que se desenvolveu com atividades comerciais e adotou o islamismo. Entre outras características, apresentavam vida urbana em cidades como Tombuctu. Um fator que impulsionou o comércio nos reinos de Mali e de Gana foi a presença de rios, canais de navegação, além do grande fluxo de mercadorias e pessoas de todos os lados do continente.
 Na região, havia a prática da escravidão entre os habitantes. Imagens coletadas por historiadores, além de relatos de escravos que foram para as Américas, comprovam que o escravismo era uma atividade comum na África Atlântica e remete à cultura das mais antigas civilizações africanas. Quando as grandes navegações europeias entraram em contato com os países do continente, a escravidão desenvolve-se ainda mais com o fluxo de africanos para as Américas através do dos navios negreiros. Quase 100% dos escravos que foram levados para as Américas eram de origem atlântico-africana.
Felipe Araújo

Nenhum comentário:

Postar um comentário