terça-feira, 12 de novembro de 2013

BIOFORTIFICAÇÃO

A biofortificação  se refere ao processo de desenvolvimento de cultivos ricos e micronutrientes, com o propósito de utilizar métodos de aprimoramento da biotecnologia. Neste processo é utilizado o cruzamento de plantas de uma mesma espécie para gerar espécies ricas em determinados tipos de micronutrientes.
Variedades de feijão. Foto: Neil Palmer
Variedades de feijão. Foto: Neil Palmer
A biofortificação também é conhecida como “melhoramento genético convencional”, e utiliza a tecnologia agrícola para a seleção de plantas para obtenção de micronutrientes; os mais obtidos são o zinco, o ferro e o betacaroteno. É necessário lembrar que a biofortificação não se refere à produção de alimentos transgênicos.
 No mundo, geralmente, a biofortificação é empregada no cultivo de feijão, milho e batata. No caso do feijão, os cientistas realizam o cruzamento de um variedade de feijão muito consumida no mercado com outra que apresenta maior quantidade de ferro. Exceto o nutriente enriquecido, a alimento biofortificado não tem alteração em sua tabela nutricional.
 No dia 24 de junho de 2013, a FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura) se demonstrou interessada no processo de enriquecimento de nutrientes de plantas como uma importante alternativa para o combate da desnutrição de cerca de 2 bilhões de pessoas no planeta. A entidade destacou o método como potencializador dos nutrientes de determinado cultivo a partir de técnicas agrônomas.
 No mundo, há seis cultivos adicionais de biofortificação no mundo por meio de métodos convencionais: mandioca e milho, ricos em vitamina A; feijões e milho pérola, ricos em ferro; e trigo e arroz, que são ricos em zinco.
 Segundo dados do Banco Mundial, as crianças desnutridas possuem maior probabilidade de  abandonar a escola e ter menor tempo de vida adulta afetando não somente suas vidas, mas o crescimento econômico de seu país. Na África, em Uganda, a FAO identificou que consumidores estavam predispostos a pagar mais caro para adquirir produtos biofortificados como garantia de maior absorção de nutrientes.
Fernando Rebouças

Nenhum comentário:

Postar um comentário