segunda-feira, 7 de outubro de 2013

A INFLUÊNCIA DA ONU

É constatada a diminuição da incidência de guerras declaradas nos últimos anos, processo que ganhou força principalmente após o término da Guerra Fria, essa alterou e fez surgir um novo tipo de conflito, os de níveis regionais que são mais fáceis de serem percebidos.
A instituição supranacional, ONU (Organização das Nações Unidas), tem como objetivo várias ações internacionais que são flexíveis em diversos assuntos (fome, mortalidade infantil e muitos outros), e dentre essas temáticas tem como finalidade conter ou intermediar, de forma diplomática, possíveis conflitos entre as nações mundiais.
Quando a ONU é acionada para realizar algum tipo de trabalho, um grupo é enviado para o local de conflito, são as “forças de paz”, essas forças têm como função primordial a execução de acordos firmados entre os adversários, além disso, se comprometem a proteger a população civil, que em geral são as mais afetadas, as missões não permitem massacres por parte do grupo mais bem armado e equipado, e nem um tipo de revanche.
A face mais obscura dos conflitos corresponde às agressões e hostilidades que deixam a população civil exposta ao sofrimento que sempre é resultado das guerras, as missões da ONU levam para as pessoas de áreas conflituosas auxílio humanitário.
A ONU é dirigida, em geral, por potências mundiais que possuem poder político para desempenhar decisões no Conselho de Segurança da instituição. Apesar da ONU ter como essência a imparcialidade e neutralidade nas discussões e negociações em relação aos conflitos em nível planetário e regionalizado, no entanto, quase sempre os interesses das nações centrais prevalecem.
Os Estados Unidos, no decorrer da década de 90, atuaram de forma autônoma e agiram como dirigente do mundo, essas ações colocaram em questão a qualidade crível da ONU.
A evidente não credibilidade da ONU por parte dos Estados Unidos e Inglaterra veio à tona em 1998, quando esses resolveram lançar várias bombas sobre o território iraquiano, sem antes ter recebido a permissão do Conselho de Segurança. Em 1999, novamente a OTAN, liderada pelos norte-americanos, realizou vários bombardeios na Iugoslávia, essa foi uma atitude tomada para sanar os interesses puramente norte-americanos, sem uma discussão prévia no plenário da ONU.

As instituições supranacionais de uma forma geral quase sempre tendem a se deixar levar pelos interesses de nações ricas, essas detêm uma grande influência geopolítica no cenário mundial, até porque são eles os responsáveis pelas decisões e que dirigem todo o processo. Aos poucos as instituições como a ONU podem perder sua principal finalidade que é de servir de forma neutra os mais necessitados, passando a atender as vontades apenas dos grandes. (Eduardo Freitas).

Nenhum comentário:

Postar um comentário