segunda-feira, 17 de junho de 2013

RESERVATÓRIOS DAS HIDRELÉTRICAS NO BRASIL

Quando nos referimos à geração de energia elétrica a partir das hidrelétricas, devemos considerar que as mesmas necessitam de altos níveis de reservatórios hídricos para manter o ritmo de produção de energia. Na usina hidrelétrica de Balbina, construída antes da de Belo Monte, houve abusos nas obras que geraram inundações excessivas em áreas florestais.
 Apesar dos intensos protestos ambientais, apenas um maior rigor por parte do IBAMA, Instituto Brasileiro de Meio Ambiente, foi estabelecido para limitar a inundações de ecossistemas, e por parte da Funai, Fundação Nacional do Índio, para que as reservas indígenas fossem respeitadas.
 Atualmente, quando se planeja a construção de uma hidrelétrica, duas prioridades são estabelecidas: a mitigação dos efeitos ambientais e da segurança energética para o Brasil, porém, nem sempre as duas se tornam compatíveis.
 No caso das hidrelétricas, a segurança energética se refere a um determinado volume de água armazenado para a geração e consumo de energia num determinado período de tempo. A demanda por energia elétrica é diária, tornando necessária a manutenção dos níveis dos reservatórios de água, muitas vezes, dependentes das chuvas.
 Quando há pouca chuva ou pouca renovação natural dos cursos dos rios que mantêm os reservatórios, a produção hidrelétrica é substituída por um período pelas termelétricas. O mesmo ocorre com a produção de energia eólica, nos períodos de menor incidência de ventos, a produção deve ser compensada com outra fonte de energia.
 A respeito dos níveis dos reservatório das hidrelétricas, no decorrer do ano de 2012, por exemplo, foram registradas quedas nos níveis dos reservatórios, apesar das chuvas que caíram em diferentes épocas do ano. Em 2012, os níveis dos reservatórios atingiram níveis comparáveis aos de 2000. Considerando as regiões do Brasil, o nível dos reservatórios ficaram em 34,6% no Sudeste/Centro-Oeste; 34,6%; no Norte, 39,6%; e no Sul, 40,7%. O Nordeste registrou 32,3%, o pior nível do país.
 Em janeiro de 2013, os níveis em todo o país apresentaram elevação, segundo dados da ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico). A região Sudeste-Centro Oeste registrou elevação de 32,09%.
 No link http://www.ons.org.br/tabela_reservatorios/conteudo.asp é possível acompanhar os níveis diariamente.
Fernando Rebouças.

Nenhum comentário:

Postar um comentário