terça-feira, 18 de junho de 2013

QUALIDADE DOS OCEANOS

Em agosto de 2012, foi divulgado um indicador inédito na área ambiental e científica, o Índice de Saúde do Oceano. O índice apresentou dados de análise realizada sobre as águas do litoral  de 171 países, ilhas e territórios.
 Nesse ano, o índice foi publicado pela revista “Nature”, no qual o Brasil ficou classificado em 35° lugar, considerando três ilhas desabitadas dos EUA e duas da França, além de três outros territórios da Grã-Bretanha e Austrália. Considerando somente os países, o Brasil é elevado para a 27ª posição. O Brasil obteve em 2012, a pontuação de 62 pontos, numa escala de 0 a 100 pontos.
 Em último lugar, ficou a Serra Leoa, do continente africano, com 36 pontos registrados. Em primeiro lugar, ficou o arquipélago de Seychelles, no oceano Índico, com 73 pontos. Os dados foram avaliados por 65 cientistas.
 O Índice de Saúde do Oceano é compreendido por dez metas, dentre as quais podemos destacar a biodiversidade, limpeza das águas, proteção ambiental da costa, oportunidades de pesca artesanal e oferta de turismo na região.
 No quesito “poluição” o Brasil registrou ter as águas mais poluídas em comparação com a média global, mas em nível de preservação das espécies o país ficou acima da média mundial, o bom resultado também foi obtido na proteção da costa.
 Em comparação aos principais países da América do Sul, o Brasil registrou ter as águas mais saudáveis do que as do Uruguai, Argentina, Chile e Venezuela. Os cientistas aconselharam que para se ter águas sadias é necessário que cada país tenha bons índices econômicos, governo estável e políticas ambientais de proteção e cuidado de seus litorais.
 Os piores índices foram detectados na costa oeste africana, causados pelos a baixos indicadores de desenvolvimento humano. A pesquisa teve a participação de diversas instituições científicas e universidades, com a ajuda da Conservação Internacional, a Fundação pela Vida no Oceano Pacífico e a sociedade National Geographic.
 As principais ameaças antrópicas à qualidade dos oceanos são a acidificação das águas, surgimento de zonas mortas, desaparecimento de mamíferos, marés vermelhas e a destruição do assoalho marinho.
Fernando Rebouças

Nenhum comentário:

Postar um comentário