segunda-feira, 24 de junho de 2013

FUTURAS MISSÕES PARA MARTE

No final de 2012, a NASA informou sobre o projeto de enviar um novo veículo para Marte em 2020. O envio de mais um carro robô reforça o objetivo de enviar uma missão tripulada ao solo marciano.
 A publicação desse projeto foi realizada durante novas conclusões a partir das pesquisas do jipe robô Curiosity  que tocou o solo marciano em 6 de agosto de 2012. No dia 4 de novembro de 2012, o Curiosity havia coletado do solo do planeta provas da presença de componentes importantes para a vida, como a água e o oxigênio.
 Além do Curiosity, circula em marte o Opportunity, outro projeto de jipe robô que investiga sobre o planeta. A nova missão a ser enviada em 2020, contará com as informações do Opportunity e de duas novas naves espaciais similares ao Stipendi, um veículo espacial projetado pelo programa espacial europeu para orbitar ao redor de Marte.
 Ao ser reeleito em 2012, o presidente norte-americano Barack Obama, se comprometeu no fortalecimento do programa de exploração do planeta Marte. Porém, antes de 2020, a Nasa pretende lançar mais duas missões não tripuladas, a “Maven” para estudara atmosfera, e a “InSight” para vasculhar o interior do solo do planeta vermelho.
 Caso esses projetos sejam postos em prática, os EUA se posicionará como líder na exploração de Marte. A Nasa, agência espacial norte-americana, pretende enviar a primeira missão tripulada para Marte em 2030.
 Na história da exploração e pesquisa humana sobre o espaço, o objetivo de explorar o planeta Marte começou em 1965, antes mesmo do homem pisar na Lua. No mesmo ano, a sonda Mariner 4 , uma aeronave projetada para explorar o sistema solar, conseguiu realizar um voo rasante no planeta Marte, realizando as primeiras fotos do planeta vermelho. Em 1969, depois que o homem pisou na Lua, os cientistas da Nasa passaram a considerar o solo marciano como um novo desafio para novas explorações tripuladas. Novas naves Mariner foram enviadas para Marte, a Mariner 9 alcançou o planeta e se tornou no primeiro satélite artificial a orbitar o planeta.
Fernando Rebouças.

Nenhum comentário:

Postar um comentário