terça-feira, 4 de junho de 2013

ESCANDINÁVIA

Recebe o nome de Escandinávia  uma região geográfica, cultural, linguística e política do norte da Europa. Geograficamente, o termo refere-se à península escandinava, localizada entre o Mar do Norte e o Golfo de Bótnia e o Mar Báltico, constituindo a maior península na Europa, estendendo-se acima do Círculo Polar Ártico em 66,5 ° N de latitude. Do ponto de vista geopolítico, o termo é equivalente a países nórdicos: Dinamarca, Noruega e Suécia, e por extensão Ilhas Faore, Finlândia, Groenlândia e Ilhas Åland. No passado, a Finlândia era considerada um dos países bálticos, pela proximidade e história em comum com os países deste grupo, de dominação russa. Ao todo, são quatro países independentes e três territórios.
A Dinamarca tem como única fronteira terrestre a Alemanha, enquanto a Finlândia e Noruega fazem fronteira com a Rússia. Fora isso, as fronteiras dos países escandinavos são marítimas, sendo estes separadas de seus vizinhos pelo mar Báltico, mar do Norte ou o próprio Oceano Atlântico. Isso ajuda a explicar em boa parte a imagem do povo viking, natural da área, como navegadores de extrema habilidade, sendo desbravadores do continente americano por meio de sua chegada à Groenlândia, em 753.
Aparte as características em comum, de grandes áreas geladas e várias regiões alagadas, cada país tem paisagens e natureza diferentes. A Dinamarca é uma planície como a Holanda e a Alemanha do Norte. Já a Islândia é uma ilha vulcânica e ao mesmo tempo de paisagem ártica. Noruega e Suécia dividem a península escandinava, que é a mais elevada na costa do Atlântico e, gradualmente, torna-se menor até que a Suécia se encontra com o mar Báltico. A Finlândia é relativamente plana, um pouco mais fria e caracterizada por lagos espalhados por todo o país. Grande parte da Suécia e da Finlândia, bem como partes da Noruega estão cobertas por florestas de pinheiros.
Acredita-se que os povos escandinavos, exceto finlandeses e lapões, formavam originalmente um só povo, vindo do norte da Ásia Menor ou dos Balcãs, constituindo uma grande família germânica. A partir do século II a.C., os cimbros e os godos, seguidos dos anglos, saxões e jutos misturam-se aos vikings noruegueses. Inscrições rúnicas datadas por volta do ano 700 nos três países centrais escandinavos indicam que os povos locais usavam exatamente a mesma língua, mas durante o período de 800 a 110, cresce uma consciência da unidade na Noruega e da distinção entre dinamarqueses e suecos.
Emerson Santiago.

Nenhum comentário:

Postar um comentário