sexta-feira, 5 de abril de 2013

Disputa entre China e Japão em 2012

Em setembro de 2012, ficou acirrada a disputa ente Japão e China pela posse de ilhas desabitadas situadas entre o mar dos dois países. A ilhas Diaoyu (para os chineses) e Senkaku (para os japoneses) são desabitadas e são reivindicadas pelos dois países. Até 2012, estavam  sob controle do Japão.
No dia 17 de setembro, os protestos se intensificaram em ambos os países, principalmente, na China, onde as empresas japonesas Canon e Panasonic suspenderam suas atividades. As empresas japonesas decidiram suspender suas atividades na China por temer ataques da população.
As ruas da cidade de Shenzen, China, foram tomadas por manifestantes que são contra a venda das ilhas para os japoneses. Em Shenzen, o protesto popular destruiu um hotel; em Zhuhai, carros japoneses foram destruídos. Porém, em Pequim, os protestos foram pacíficos.
As montadoras de carro Nissan, Honda e Toyota também paralisaram as atividades para garantir a segurança de seus funcionários. A fábrica da Panasonic instalada na cidade chinesa de Qingdao foi incendiada.
Apesar de quase três dias de atividades suspensas, nenhum funcionário japonês foi retirado da China. Entre os dias 16 e 17 de agosto, além de fábricas e concessionárias de carros, manifestantes chineses atingiram lojas e restaurantes, forçando os japoneses radicados no país a se esconderem e a Fast Retailing, rede asiática de moda, a fechar seus negócios na China.
Em nível diplomático, a iniciativa do Japão de nacionalizar as ilhas do mar do Leste da China incomodou o governo chinês, as ilhas são alvo de disputas entre os dois países há décadas, em determinado período da história, até Taiwan já participou da disputa.
O Japão resolveu nacionalizar as ilhas para que o governador de nacionalista de Tóquio não as comprasse para a construção de novas instalações, fator que incomodaria ainda mais o governo chinês.
Logo após a nacionalização japonesa das ilhas, a China enviou seis navios militares para patrulhar a região. O arquipélago de Senkaku, assim batizado pelos japoneses, comtém reservas de gás. Além dos navios militares, mais de 1.000 barcos pesqueiros chineses navegaram em direção ao arquipélago.
Fernando Rebouças


Nenhum comentário:

Postar um comentário