terça-feira, 30 de outubro de 2012

PASSAGEM DO NOROESTE

Considerada uma rota formada por estreitos sequenciais na região norte da América, a Passagem do Noroeste localiza-se próxima ao Círculo Polar Ártico, possibilitando a junção do Estreito de Bering ao Estreito de Davis. Desta forma, faz uma conexão entre dois oceanos: o Pacífico e o Atlântico. Na região da passagem existem diversos canais profundos localizados entre as ilhas que formam o Arquipélago Ártico Canadiano, que fica no Oceano Ártico, ao norte do país.
Como as ilhas que se encontram na parte norte do Canadá estão sempre encobertas e cheias de gelo em seu entorno, a Passagem do Noroeste é considerada uma rota possível para a região. Segundo alguns especialistas, com o advento do aquecimento global, pode ocorrer o degelo da passagem. Com isso, ela se abriria e causaria uma diminuição do curso marítimo entre o continente asiático e o europeu.
De acordo com informações da ESA, European Space Agency, imagens feitas por satélites no ano de 2007 mostraram que a Passagem do Noroeste encontra-se limpa das geleiras e aberta. Porém, antes disso, a passagem pela rota só era possível quando feita com navios potentes, desenvolvidos especialmente para a quebra do gelo. A travessia podia ser feita na época dos meses mais quentes de verão no Oceano Ártico.
Em comparação com o ano de 2006, em 2007 o gelo do Ártico teve um derretimento dez vezes maior. Apesar dos cientistas acreditarem que tal fenômeno só fosse possível em um período gradual que duraria duas décadas, o degelo rápido fez com que uma abertura inesperada se formasse na Passagem do Noroeste.
Empresas envolvidas no segmento de transporte internacional de mercadorias especulavam que a navegabilidade da região poderia melhorar cada vez mais até o ano de 2020. Desta forma, a Passagem do Noroeste seria um ponto estratégico e uma rota que poderia substituir trajetos feitos pelo Canal de Suez e pelo Canal do Panamá.
Para se ter uma ideia da facilidade que a passagem traz, basta comparar o trajeto entre Londres e Osaka. Pelo Canal do Panamá, o caminho é de 23.300 quilômetros, pelo Canal de Suez, fica em 21.200 quilômetros. Porém, o trajeto feito pela Passagem do Noroeste é de somente 15.700 quilômetros. Caso a abertura verificada no ano de 2007 mantenha-se a crescer, é provável que daqui a alguns anos aconteça uma mudança drástica no que se refere às rotas
Felipe Araújo.

Um comentário:

  1. Olá caro professor Fabrício. Tenho acompanhado seu trabalho através dos blogues Geografando e Hostoriando. Estes, inclusive, estão indicados na minha lista de blogues. Pela qualidade e dedicação despendida ao seu blog, estou oferecendo a você o "Prêmio Blogger Versátil", cujo mesmo também recebi. Para recebê-lo acesse http://www.professor-josimar.blogspot.com.br/2012/10/selo-blogger-versatil.html Sinta-se à vontade para aceitá-lo ou não. Saiba que o seu blog está entre os agraciados por oferecer aos leitores rico conteúdo educacional.

    ResponderExcluir