terça-feira, 8 de maio de 2012

Contrariando tendência global, geleiras da Ásia ganham massa

Camadas de gelo próxima do Himalaia aumentaram de tamanha nos últimos anos, aponta estudo
Algumas camadas de gelo das montanhas de Karakoram, na Ásia, desafiam o aquecimento global e ficam cada vez mais grossas, afirmam cientistas franceses. Os pesquisadores usaram dados obtidos por satélites para mostrar que geleiras em parte do território das montanhas, a oeste do Himalaia, estão aumentando.
A razão para o fenômeno é incerta, já que as geleiras de outras partes da região - e de todo o mundo - estão perdendo massa. As camadas de gelo das Karakoram são pouco estudadas, mas ainda assim servem como uma fonte vital de água para mais de um bilhão de pessoas.
A resposta das geleiras do Himalaia para o aquecimento global tem sido motivo de grandes discussões desde que um relatório do Painel Intergovernamental paras as Mudanças Climáticas afirmou que o gelo da região desapareceria por completo até 2035.
Embora comumente considerado como parte do Himalaia, as Karakoram fazem parte de uma cadeia de montanhas tecnicamente diferente, que inclui o K2, o segundo mais alto pico do planeta. Boa parte dessa área é inacessível e há um senso comum de que mais pesquisa deve ser feita para checar o que ocorre com as geleiras.
Os cientistas da Universidade de Grenoble compararam dois modelos de elevação de superfície terrestre a partir de dados de um satélite, colhidos entre 1999 e 2008, método já usado para analisar outras montanhas, mas pouco comum. Os resultados foram publicados na revista Nature Geoscience.
A equipe descobriu que entre 1999 e 2008 a massa das geleiras nos 5,615 km² analisados cresceu, embora eles não saibam os porquês. Uma das hipóteses é que o aquecimento global provocou mais chuvas e o congelamento das precipitações tenha contribuído com o aumento das camadas de gelo.
"Nós realmente não sabemos as razões. Acreditamos que o aumento se deve a uma variação climática bastante específica na região das Karakoram, porque houve medições meteorológicas mostrado um maior índice de chuvas no inverno. Mas é apenas uma hipótese", disse Julie Gardelle, uma das líderes da pesquisa.
O fenômeno na região contrasta com o que acontece em outras partes do Himalaia. No final do ano passado, um centro de pesquisas do Nepal divulgou um estudo afirmando que a taxa de derretimento das geleiras dobrou desde os anos 1980. O relatório, porém, deixou claro que analisou a fundo apenas 10 geleiras das mais de 54 mil que existem na região.

Nenhum comentário:

Postar um comentário