terça-feira, 9 de agosto de 2011

O RELEVO ANTARTICO

Quase todo o território antártico está coberto por uma enorme camada glacial, ou inlandsis, de dois mil metros de espessura média e com um volume de trinta milhões de quilômetros cúbicos, o que constitui noventa por cento dos gelos terrestres. Essa camada se prolonga mar adentro, formando enormes barreiras glaciais como as de Ross (no mar do mesmo nome), Ronne e Filchner (no mar de Weddell), Larsen (na península Antártica) e Amery (na costa que dá para o Índico). A camada de gelo que recobre o continente dificulta o conhecimento direto de sua geologia e morfologia, o que tornou necessário o emprego de métodos avançados de detecção ecográfica.
A maior parte do continente, sobretudo o setor oriental, é constituído por um escudo pré-cambriano recoberto de sedimentos das eras paleozóica e mesozóica. Esse escudo fez parte do antigo continente austral de Gonduana até o fim da era mesozóica e o início da cenozóica, quando a deriva continental fez com que a placa antártica se separasse da América do Sul, da África, da Índia e da Austrália, deslocando-a até sua posição atual. O subcontinente ocidental é constituído de materiais mesozóicos e cenozóicos, fraturados e dobrados em conseqüência da orogenia alpino-andina -- recente, portanto.
Sem a calota glacial, que começou a se formar há cerca de cinqüenta milhões de anos, no período terciário, a Antártica seria um continente muito mais baixo (aproximadamente 450 ou 500m de altitude média) e grande parte de seu território estaria submerso. A Antártica oriental, onde a espessura do gelo atinge 3.500m em alguns pontos, é uma grande planície ocupada pelas bacias subglaciais polar e Wilkes, e margeada por vários blocos tectônicos de altura superior a três mil metros, como a cordilheira Transantártica, no limite com o setor ocidental (Fridtjof Nansen, 4.068m; Kirkpatrick, 4.528m; Markham, 4.350m), os montes Gamburtsev, no centro, e outros maciços antigos situados nas costas orientais (montes Hofmann, Wohlthat, Rondane, Bélgica, Rainha Fabíola etc.). Entre as formações montanhosas da Antártica ocidental, mais jovens, destacam-se a cordilheira Sentinel -- onde se acha o ponto culminante do continente, o monte Vinson (5.140m) --, a cordilheira Executive Commitee (monte Sidley, 4.181m) e a cordilheira Eternity (Jackson, 4.190m).
A atividade vulcânica se situa principalmente na Antártica ocidental, no oeste da terra de Ellsworth, na terra de Marie Byrd, nas costas da península Antártica e também na zona de falhas da cordilheira Transantártica. O Erebus (3.795m), na ilha de Ross, o McMurdo (3.610m) e o Siple (3.110m) são alguns dos vulcões mais importantes.
Fonte: Barsa

3 comentários: