terça-feira, 17 de maio de 2011

FORMAÇÃO E AS ERUPÇÕES MAIS DESTRUIDORAS DA HISTÓRIA

Mariana Aprile
Antigamente pensava-se que a lava, ou fogo líquido, expelida pelos vulcões, viesse diretamente do núcleo terrestre. Mas hoje em dia sabe-se que não é bem assim.
Através da cratera do vulcão a lava (mistura de rochas fundidas) é expelida para fora. A lava vem de "bolsões" ou "lagos" subterrâneos de magma - nome dado à lava antes de sair do vulcão. Esses depósitos magmáticos ficam entre a parte superior do manto e a camada inferior da crosta terrestre.
O canal por onde o magma sai é denominado chaminé. O material constituinte do magma, rochas e metais derretidos, produzem gases. Quando a pressão exercida por eles é maior do que a crosta terrestre pode suportar, ela se rompe e a lava é jogada para fora, como uma enorme fonte de fogo.
Quanto maior a pressão dentro dos bolsões de magma, tanto maior será a força de efusão da lava - essa pode jorrar com tanta força que atinge quilômetros de altura.
Ao cair ao longo da cratera, a lava produz o cone vulcânico, que se parece com uma montanha. Conforme as erupções acontecem, o cone tende a aumentar - no caso do monte Fuji, no
Japão, ele chega a ter 3.778 metros de altura.
Antes de uma erupção, costuma-se ouvir um estrondo, como um trovão, seguido de tremores de terra. Numa explosão violenta, pedaços de rocha do tamanho de carros são jogados a quilômetros de distância, como se fossem pedrinhas. O vulcão joga a lava para fora, que escorre da montanha de fogo, destruindo tudo ao seu redor.
Vulcões inativos
Pessoas que moram perto de vulcões estão acostumadas a leves tremores de terra e só se assustam mesmo quando o vulcão começa a soltar fumaça (gases) e lava. Chuvas de cinzas são comum nesses lugares.
O solo de lugares próximos a vulcões costuma ser fértil por causa das cinzas vulcânicas, e é aproveitado na agricultura. Em lugares como Kafla, na
Islândia, a população aproveita os gases expelidos por fendas na crosta (próximas ao vulcão) para aquecer casas e para a produção de alimentos em estufas.
Tipos de vulcão
As formações mais imponentes de vulcão são as do tipo Vulcaniano, que têm o cone de maior altura, como por exemplo, o monte Fuji e o Vesúvio (localizado na Itália). Nesse tipo de vulcão, a lava e os gases saem por um único lugar, a cratera.
Quando o fogo líquido sai por fendas e buracos ao longo do cone, além de efluirem pela cratera, o vulcão é chamado de Peleano - o monte Pelée, na Martinica é desse tipo.
Por vezes a lava é muito líquida e escorre rapidamente (com velocidade de 20 a 50 quilômetros por hora), sendo expelida também nas laterais do cone - nesse caso, o vulcão é do tipo Havaiano.
No Brasil
O território brasileiro tem a sorte de ficar em cima de uma parte muito antiga da crosta terrestre, e por isso não há vulcões ativos por aqui. Mas foi onde hoje é a Amazônia que houve a maior erupção vulcânica da história da Terra, segundo afirmaram em entrevista à revista "Science" cientistas da Universidade da Califórnia, em Berkeley, nos Estados Unidos.
Seus estudos mostram que isso ocorreu na bacia do rio Amazonas há 200 milhões de anos, quando os continentes começaram a se separar - no início, os continentes formavam um supercontinente conhecido como
Pangea.
Vulcões Famosos
Confira alguns dos vulcões mais conhecidos do mundo:
·  O monte Fujiyama, no Japão está inativo há 300 anos, mas ainda solta fumaça. É considerado pelos cientistas que estudam vulcões, os vulcanologistas, como ativo de baixo risco.
·  A erupção do Krakatoa, em 27 de Agosto de 1883, na Indonésia, foi terrível. Para se ter uma idéia, a pressão do magma foi tão grande que o cone do vulcão explodiu. O estrondo foi ouvido na Austrália e foi o primeiro desastre natural a ser transmitido no mundo inteiro. Milhares de pessoas morreram, como relata o livro "Krakatoa, o Dia em que o Mundo Explodiu", do jornalista e escritor Simon Winchester.

Nenhum comentário:

Postar um comentário